Madame Estrela, conselheira matrimonial

Onde estão os príncipes e as princesas? Onde estão os namorados eternecidos? Onde estão os coraçõezinhos sobre essas cabeças?
Já não estão? É mesmo verdade que o amor fechou as portas? Raios... Não é suposto ser na Primavera existir os rituais de acasalemento? Ou as ondas de calor estão a amolecer esta gente? É que eu não os entendo mesmo...
E passo a explicar: os meus amigos estão a separar-se... Nos últimos dias ouvi o relato de quatro separações!! Eu já nem sei que discurso utilizar. Eu bem sei que qualquer palavra de conforto torna-se vaga e inutil... E penso eu, opah, mais vale circular aqui de pantufas e fugir a alhadas destas... Andam todos tristes cabisbaixos... A se sentirem frustrados, incompreendidos, falhados...
Amigos, não! Vocês são o máximo e alguém há-de acreditar em vós. As coisas nunca acontecem por acaso e o desgosto de hoje será história amanhã. Garantidamente! ;)
Engraçado foi o que me disse um deles: "O desgosto amoroso de um artista ainda é pior! É dramático e lírico!" E bem que neste momento podem surgir profundas inspirações... Tá a trabalhar!
É por estas e por outras que sou solteira e má rapariga! E aqui vou continuar, a limpar a baba e ranho dos meus amigos lindos!
Beijo grande em especial para os my friends, e aos que estão juntinhos, atinem, minha gente, atinem!
Ps: Lita, sempre que tento abrir o teu blog, dá-me um erro! Alguém anda a minar isto... :( Será o meu To(shiba) a me tramar outra vez? E fico eu doida para saber dos últimos pequenos pormenores...

10 comentários:

ianita disse...

Tens toda a razão...

Tomara eu ser artista... Tenho a certeza que os meus desgostos de amor teriam dado belas e sofridas obras de arte :)

Beijinhos

HannaH Sophia disse...

falando por experiencia propria, essses periodos sao os mais dolorosos, mas tb sao periodos de grande crescimento e rendimento "artistico";)

mesmo assim, apesar dos riscos do sofrimento que pode ocorrer um dia, eu ainda escolho o amor.

Lita disse...

Penso que as relações não são diferentes de tudo o resto. têm um tempo de vida. Que pode ser muito longo ou não. É uma parte dolorosa, mas não é um drama. Quando as pessoas se separam, aquilo que vejo é que querem ser mais felizes. E isso é bom.

Quanto ao meu blog, não notei nada, mas por vezes acontece-me isso com outros. Abrem-me uma serie de páginas em branco. Penso que poderá ser do blogger. Se continuar diz-me, vou tentar ver o que se poderá passar! ;)
Beijos.

pérola disse...

Eu desconfio que tem de facto a ver com o tempo... Tá instável e nós vamos na onda!
Sabes que podias ganhar uns trocos como conselheira sentimental. És capaz de ter jeito para a coisa, tens que pensar no assunto ;)
Beijinhos

Anônimo disse...

Instável como tudo, o amor é impossível descrever, impossivel compreender e impossível definir quando vai surgir...

As relações são difíceis, numca sao perfeitas, e deambulam numa montanha russa de sentimentos, pensamentos e desejos. ( ou nao)
A relação perfeita nao existe, mas coexiste entre amizade e o carinho entre duas pessoas. E se compreenderem e os milhares de aspectos que um "dueto" vai exigir no futuro, talvez assim possam manter o companheirismo e uma relação mais coesa.
Sejam amigos!

..somos seres empreganados de paixão.. Carpe diem!

Let love rule!
#art'

Nuno Medon disse...

olá! Eu acho que eles ainda podem ser muito felizes.... Agora tens que os apresentar ás tuas Amigas... e assim pode ser que ajudes a formar um casal....nunca se sabe!!! beijos e uma boa semana! bons feriados!

Anônimo disse...

Amor verdadeiro, precisa-se….
Há dias uma amiga perguntava-me porque estava eu tão desiludida com o amor…
Respondi que me sentia assim porque sabia que não voltaria a encontrar amor como o que já vivi.
Aí ela pergunta-me… o que era o amor para mim…
Respondi que para mim, o amor verdadeiro é sentir tudo num olhar, é fitar o outro nos olhos e pensar: “fazes sentido para mim, vejo dentro de ti e sinto-me bem”… é ter vontade de tocar, abraçar, sentir e permanecer numa calma enorme quando se está perto…
É estar junto do outro e não conseguir deixar sentir o calor… É, no meio de uma convers, deixar de ouvir, porque se está simplesmente a observar, cada gesto, cada expressão… e se está a amar…
É respirar fundo nessa paz e o nosso mundo sorrir… É sentir sempre…mesmo quando se está só.
É sentir falta…
Eu já vivi um amor assim… como sabes, foram 15 anos… quase uma vida.
E apesar dos desgostos e desilusões, enquanto foi puro e verdadeiro, foi especial… único.
Por isso acredito que não se volta a repetir.
Penso que é positivo procurarmos de novo o amor, perseguir a felicidade, mas não acredito que o mesmo amor se repita, com a mesma intensidade…
Mas não desistam!

*Desculpa o testamento, Cris!

Bjkas.

Liliana R.

Caranguejo disse...

Pois parece que anda ai uma praga de rompimentos e de desamores deve ser efeitos do buraco do ozono só pode:).

A gora a serio é complicado dizer algo nessas situações mas também acho que hoje em dia poucas pessoas estão dispostas a ceder e a trabalhar por uma relação cada vez mais uma relação se faz de cedências de parte a parte e de respeito e confiança e claro carinho e amor há certas pessoas que por mais que tentem não são capazes de ceder por um amor…

Com que então a menina é solteira :)….e duvido que seja má como afirmou.

Ps- Então e a foto estamos á espera da foto moça:)



Beijos

Rabodesaia disse...

Eu sou feliz e acredito que todos podem ser felizes se se esforçarem um bocadinho e se acreditarem que não há só dias de trovoada!

Anônimo disse...

Olá Estrelinha:)...
Para que servem as amigas conselheiras?
É para os bons e maus momentos…
Nunca se esquece alguns desgostos, mas o tempo encarrega-se de curar os ditos sintomas.
Pessoalmente, sinto-me bem sozinha, não quero dizer com isto que se surgir alguém que valha a pena…
Enquanto, aproveito a vida...
Bjinhos
Cotton

P.S. Estrelinha há oportunidades que só surgem uma vez...